Janeiro 2012
! 21 DE JEJUM DE DANIEL 24-SINAIS A BÍBLIA A HISTÓRIA DE ESTER A ÚLTIMA PEDRA ADESIVO ADIR ALVES ANDRESSA URACH ANIMAÇÃO ANJOS DA MADRUGADA ANUNCIOS ARGUMENTOS ART ARTE ARTES BANNER BÍBLIA NARRADA BLOCO BOLSA BP.ADILSON BP.ALESSANDRO PASCHOL BP.ALEXANDRE MENDES BP.ALFREDO BP.ALLAN SENA BP.ANDRÉ CAJEU BP.ANDRÉ ESTEVES BP.ANDRÉ MORGADO BP.ANTONIO C BP.ANTONIO MORAIS BP.ARNALDO LANZELOTI BP.AROLDO BP.AUGUSTO DIAS BP.BIRA FONSECA BP.CARLOS CUCATO BP.CARLOS ROCHA BP.CÉLIO LOPES BP.CELSO JUNIOR BP.CLAÚDIO LANA BP.CLÁUDIO LENA BP.CLODOMIR BP.DANILO BP.DARLAN BP.DJALMA BEZERRA BP.DOMINGOS BP.EDSON COSTA BP.EMERSON C BP.FERNANDO BP.FERNANDO SOUZA BP.FERNANDO VASSOLER BP.FORMIGONE BP.FRANCISCO BP.FRANCISCO DE ASSIS BP.FRANKLIN BP.GÉRSON VIERA BP.GONÇALVES BP.GUARACY BP.INALDO SILVA BP.JADSON BP.JAIR BARBERA BP.JEAN PAULO BP.JOÃO BATISTA BP.JOÃO LEITE BP.JORGE SILVA BP.JORGE VIERA BP.JOSÉ DE HOLANDA BP.JULIO F BP.LEANDRO ZANGARINI BP.LENO BP.LUIS CARLOS GOMES BP.LUIS ORÁVIO BP.MACEDO BP.MANOEL SILVA BP.MARCELO BRAYNER BP.MARCELO CRIVELLA BP.MARCELO PIRES BP.MARCIO BP.MARCUS VINÍCIUS BP.MIGUEL BP.NATAL FURUCHO BP.ODIVAN BP.OLIVEIRA BP.PAULO ROBERTO BP.RAFAEL CAVINA BP.RANDAL BRITO BP.RENATO CARDOSO BP.ROBERTO MAUSER BP.ROBSON BP.ROGÉRIO SILVA BP.ROMUALDO BP.SÉRGIO BRAGA BP.SÉRGIO CORRÊA BP.SÉRGIO GONSALVES BP.SIDNEY MARQUES BP.SILVA BP.VAGNER CAIXINHA CALEBE CAMINHADA DO AMOR CAMISAS CAMPANHAS CARAVANA DO RESGATE CAROLO ARTIGOS CARRO DE SOM CARTA CARTÃO CARTELAS CD CERTIFICADO CHAMADA VÍDEO CHIP CLIPES COISAS DE MULHER CONSELHO Convite CREDENCIAL CURTA METRAGEM D. FÁTIMA D. VIVIANE D.CRISTIANE CARDOSO D.DANIELLE CAROTTI D.ESTER BEZERRA D.FERNANDA D.NANDA BEZERRA DANIEL GODRI DANIELE MAGALHÃES DAVI ARGENTINO Descarrego DESENHO GOSPEL DESENHOS BÍBLICOS DESTRUIDOR DE SONHOS DIPLOMA DÍZIMOS DOCUMENTÁRIOS DOSES DE ÂNIMO Download DOWNLOADS DVD SHOWS EBI. E PA ENTREVISTA ENVELOP ENVELOPE Envelopes Escola do Amor Estudo ESTUDO PARA TERAPIA ESTUDOS ESTUDOS PARA OBREIROS FICHA FILHOS DE PASTORES FILMES CONSTRUTIVOS FILMES CRISTÃOS FILMES DESENHOS FILMES ÉPICOS FJU Fogueira Santa FOLHETOS FORÇA JOVEM BRASIL FORÇA JOVEM UNIVERSAL Frases Inspiradoras FUNDO DE ORAÇÃO GIESLEY MOTA GLADIADORES GODLLYWOOD GUILHERME NETO HISTÓRIA DE SABEDORIA História de sabedoria e humildade HOMENAGEM Humor IDÉIAS IGOR LOPES ILUSTRAÇÕES BIBLICAS Imagem IMAGENS INTELLIMEN ÍSIS REGINA JACKSON CARDOSO Jejum de Daniel LETRAS DE MUSICAS LEVI DA LUZ LIVRO Livro Para Ouvir LOGO TIPO LOJA FABIO LUIZINHO SILVA Matéria Video MATÉRIA VÍDEOS MATERIAL DE CAMPANHA Material Gráficos mensagem MENSAGEM DAS ESPOSAS MENSAGENS MENSAGENS DE FÉ MILTON CARDOSO Minissérie Motivação MULHER V MULHERES EM FOCO musica MUSICAS NOITE DA SALVAÇÃO NOTICIA Notícias NÚBIA SIQUEIRA O DESAFIO DE ELIAS OBREIRO (A) Obreiros OBREIROS EM FOCO OS DEZ MANDAMENTOS PAIS & FILHOS PALAVRA DO BP MACEDO Palavra amiga do Bp.Macedo palestra PALESTRA PARA CASAIS PALESTRAS PARA PENSAR Pasta PASTAS PASTOR GUILHERME GRANDO PASTOR JACOB PEÇA TEATRAL PEGAMINHO PERGAMINHO PERGUNTA E RESPOSTA Pr Rogerio Formigoni Pr. Alexandre Mendes PR. ALEXANDRE SOUZA PR. ANTONIO MORAES PR. DIETER Pr. Edson PR. IRINEU PR. JEFERSON BRAYNER PR. KÊNIO REZENDE PR.ALAN PR.ALEX LIMA PR.ALEXANDRE MENDES PR.ALVES PR.COSME PR.CUCATO PR.DANIEL PR.DANIEL RETAMIRO PR.EDSON PR.FÁBIO LINS PR.FLÁVIO DINIZ PR.GIL FERRAZ PR.JOSUÉ MORAES PR.LAURINDO PR.LENO PR.LUCIANO ALVES PR.LUCIANO SANTOS PR.MARCELO MORAIS PR.MARCOS FRANÇA PR.MARLON SOUZA PR.RICARDO PR.ROBERSON PR.TÍNDARO LANES PR.WESLEY POLICARPO PR.WILLIAM LARA REFLEXÃO RELÍQUIAS REPORTAGEM RICARDO LEITE Rituais RITUAL ROGÉRIO LUIS SALVAR ALMAS SANTO CULTO Santo culto em seu lar Simulação SIMULAÇÕES Superação SUPERAÇÃO E MOTIVAÇÃO TECLADISTAS tecladistas da iurd Templo de Salomão TEMPLO SL Terapia do amor Test Fogueira Santa Testemunho TESTEMUNHO DO TEMPLO TESTEMUNHO FS TESTEMUNHO MONTE CARMELO TESTEMUNHOS THE LOVE SCHOOL TRABALHO SOCIAL TRISTIMUNHO UM PASTOR CHEIO DE GRAÇA UMA IDEIA MUDOU MINHA HISTÓRIA VÍCIO TEM CURA Vida Sentimental VÍDEO VÍDEO AULA video de salvação videos VÍDEOS VÍDEOS BÍBLICOS VINHETAS VITRAL



Ruth, olhou em sua caixa de correio, mas só havia uma carta. Pegou-a e a olhou antes de abri-la. Mas logo parou, para observar com mais atenção.

- Obrigado, senhora, muito obrigado – despediu-se, agradecido, o casal. 
Sorrindo, voltou a caminho de casa, sem seu casaco e sem nada para servir para Jesus.

“Querida Ruth. Foi bom vê-la novamente. Obrigado pelo delicioso lanche e pelo casaco. Com amor, Jesus.”
Ruth estava tremendo de frio quando chegou à porta de sua casa. Procurou a chave rapidamente na bolsa, enquanto notava outra carta na caixa de correio.
“Que esquisito, o carteiro nunca vem duas vezes em um dia” – pensou ela. Apanhou a carta e a abriu:
Não havia selo nem marcas do correio, somente seu nome e endereço. Ela decidiu ler a carta: “Querida Ruth. Estarei próximo de sua casa, no sábado à tarde, e passarei para visitá-la. Com amor, Jesus.”
As mãos da mulher tremiam quando colocou a carta sobre a mesa. “Por que Jesus iria querer visitar-me? Não sou ninguém especial, não tenho nada para oferecer-lhe…” – pensou.
Preocupada, Ruth recordou o vazio reinante nas estantes de sua cozinha. “Ai, não!, não tenho nada para oferecer-lhe. Terei que ir ao mercado e comprar alguma coisa para o jantar.” Ruth abriu a carteira e colocou o conteúdo sobre a mesa. Era muito pouco, suficiente apenas para comprar pão e alguma outra coisa.
Ruth colocou um abrigo e se apressou em sair. Um pão francês, um pouco de peru e uma caixa de leite. Sobram-lhe apenas alguns trocados, que deveriam durar até a segunda-feira, quando receberia sua pensão novamente. Mesmo assim, sentiu-se bem e saiu a caminho de casa, com sua humilde compra debaixo de um dos braços.
- Olá, senhora, pode nos ajudar?
Ruth estava tão distraída pensando no jantar, que não viu as duas pessoas que estavam de pé no corredor. Um homem e uma mulher, os dois vestidos com pouco mais que farrapos.

- Olhe, senhora, não tenho emprego. Minha mulher e eu temos vivido ali fora na rua. Está fazendo frio e estamos sentindo fome. Se a senhora pudesse nos ajudar, ficaríamos muito agradecidos.
Ruth olhou para eles com mais cuidado. Estavam sujos e tinham mal cheiro e, francamente, ela estava segura de que eles poderiam conseguir algum emprego se quisessem.

- Senhor, eu queria ajudar, mas eu mesma sou uma mulher pobre. Tudo que tenho são umas fatias de pão, mas receberei um hóspede importante esta noite e planejava servir-lhe isso.
- Sim, senhora, entendo, de qualquer maneira, obrigado - respondeu o homem. 


O pobre homem colocou o braço em volta dos ombros da mulher, e os dois se dirigiram para a saída. Ao vê-los saindo, Ruth sentiu um forte pulsar em seu coração.
- Espere!
O casal parou e voltou à medida que Ruth corria para eles e os alcançava na rua:

- Fiquem com isso tudo – disse ela.
- Mas, e o seu convidado, senhora?
- Eu dou um jeito. Não se preocupem.

Quando a mulher estendeu as mãos para pegar o lanche, Ruth percebeu que a mulher tremia de frio.

- Sabe, tenho outro casaco em minha casa, tome este – ofereceu Ruth. Ela desabotou o próprio casaco e o colocou sobre os ombros da mulher.


Uma certa manhã, quando lhe bateu uma grande vontade de comer uma fruta, Nil foi até a cozinha e viu que não havia a que queria. Encontrou banana, laranja, uva, ameixa, goiaba, mas a vontade dele era de comer manga. E, como não havia, resolveu sair para comprar.
Ele passou por feiras e mercados, porém, em nenhum desses lugares conseguiu encontrar. Até que passou por um terreno, e lá estava uma bela mangueira. À primeira vista, Nil não viu nenhuma
fruta. Rodeou a árvore e, ao

olhar mais atentamente, viu que ainda havia uma presa quase no topo.
Logicamente, pensou em pegar uma vara para cutucar a fruta até cair, mas em volta do terreno não havia absolutamente nada. Apesar de baldio, o lugar estava limpo. Foi a tristeza de Nil. E a única maneira que encontrou para acabar com o desejo de comer a manga foi escalar a árvore.
O rapaz firmou os pés, agarrou-se bem e começou a subir. Mas a escalada bastante íngreme o fez se desequilibrar e cair. Ele não se machucou, até porque não conseguiu escalar o bastante.
Mas Nil não desistiu. A fruta estava ali, “olhando” para ele, como se fosse um oásis no meio do deserto. Isso o animava, e assim decidiu continuar a empreitada rumo à conquista de sua fruta.
De repente, ele lembrou de um gato e pensou se não poderia fazer o mesmo. Certamente imaginou que não poderia subir de uma forma tão eficiente quanto um felino o faria, porém, era a única referência eficaz para se inspirar.
Nil segurou bem o tronco da árvore fincou os pés novamente, e começou a seguir. Mas a árvore era espessa demais e tão grossa, que quando ele se agarrou a ela, arranhou os braços a ponto de sangrar levemente.
Que desespero! Nil só queria saborear aquela manga amarelinha e ao ponto de ser degustada. “Se tivesse uma longa vara aqui, daria um jeito de chegar até a minha fruta”, pensou entristecido.
Depois, sentou-se ao pé da imensa mangueira e esperou que um vento forte derrubasse a manga. Mas ele ficou ali por um longo tempo e nada da fruta cair. “Não é possível...”, ele dizia em tom indignado, “...essa fruta está madura e já deveria ter caído!”
Anoiteceu e nada de Nil alcançar o objetivo. No outro dia, decidiu encontrar uma vara para arrancar a fruta de lá. Comer a manga já era uma questão de honra. Afinal, para tanto esforço, deveria haver alguma recompensa.
Nil aproximou-se novamente da árvore e viu a manga no mesmo lugar, balançando mansamente, como se desejasse cair em suas mãos. Mas as horas iam passando e nada. Também não havia encontrado a tal vara. Foi quando decidiu subir, mesmo com a grande dificuldade.
O rapaz agarrou-se com toda a força na árvore, apoiou os pés descalços e começou a subir. Escalou bem devagar, um passo após o outro, sem desespero. A manga ainda continuava ali, amarela e grande, pronta para ser alcançada.
Nil a olhava como um troféu a ser conquistado, e nem acreditava que estava fazendo todo aquele esforço por uma simples fruta. O problema era que, enquanto subia, sentia os braços arderem com o suor que descia de sua testa, os pés se ferirem e um leve sangramento surgir devido à pele maltratada pela aspereza do tronco.
Em nada disso ele pensava e, ao olhar para baixo, viu o quanto já havia escalado. Faltava pouco, muito pouco até conseguir o seu prêmio. Só mais alguns passos e seria fácil agarrar a fruta. O jovem esticou um dos braços, e já podia sentir a água escorrendo de sua boca. Era inacreditável aquele feito!
No entanto, quando ameaçou tocá-la, com as mãos escancaradas e prontas para alcançá-la, um vento soprou e derrubou a maravilhosa manga, que se espatifou inteira no chão.
Para refletir
A ansiedade nos faz cometer loucuras, e nos deixa tão cegos que nos impede de ver que tudo tem o seu devido tempo para acontecer. E nos faz correr atrás de coisas, sem que estejamos preparados espiritualmente para tê-las.
Guarde a sua fé, confiando que a sua “manga” está só esperando o tempo certo para amadurecer e cair inteira em suas mãos.

Impacto da Fé

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget